Volvo apresenta concept de novo motor

A Volvo decidiu que não faria motores com mais de 4 cilindros ou maiores que 2 litros, algo que pode complicar desenvolver motores com a potência necessária para certos automóveis como o novo XC90 ou versões mais desportivas por exemplo.

Nessa demanda de potencia pegaram no motor 2 litros Drive-E de 4 cilindros e adicionaram 2 turbos para aumentar a potência - até aqui nada de novo, mas se fosse só assim isso implicaria um tempo de resposta de turbo enorme (como sabemos os turbos rodam graças ao fluxo de gás de escape que é muito fraco a baixa velocidade). Aí entra a novidade os 2 turbos são accionados por ar comprimido vindo de um terceiro turbo e esse terceiro turbo é accionado electricamente. Resumindo o motor tem 3 turbos - 2 alimentam o motor e o 3º turbo faz rodar os 2 turbos quando o automóvel circula a baixa velocidade e não há fluxo de gás de escape suficiente.

A questão é equilibrar isto tudo - o turbo eléctrico apenas roda, e é capaz de o fazer quase instantaneamente, quando se circula a baixa velocidade mas a medida que o automóvel ganha velocidade há uma válvula que abre e os 2 turbos passam a ser accionados pelo gás de escape e o turbo eléctrico desliga-se. Conseguir coordenar tudo isto sem danificar o motor ou a condução não soa a tarefa simples.

O resultado final são 450 cavalos tirados de um bloco de 2 litros e 4 cilindros e graças a este sistema de turbo eléctrico sem aquele tempo de resposta que muitos de nós se queixam.


Vale a pena acrescentar que não é propriamente novidade - aquando da recente celebração do Audi equipado com sistema Quattro número 6 milhões e dos 25 anos dos motores TDI a marca alemã (o 1º foi o 2,5 litros TDI apresentado no Salão de Frankfurt de 1989 já agora) anunciou para breve a comercialização de um motor TDI Biturbo eléctrico, com um principio ligeiramente diferente do da Volvo.

Este tinha 2 turbos em sequência em que o mais pequeno era accionado directamente por um motor eléctrico até que a velocidade permitisse que o turbo maior entrasse em acção accionado pelos gases de escape. Este motor deve surgir no novo Audi Q7 esperado para 2016.

0 comentários:

"