Cartão mãos-livre Renault Megane - mais resistente que parece

Gostaria de partilhar convosco uma experiência recente que espero servir como aviso para vós, leitores, não façam a mesma asneira e tenham que vasculhar no mercado de peças, sites de componentes automoveis e de automóveis seminovos. Recentemente tive hipótese de passar o fim de semana na praia da Baleia em Santa Cruz com a família e amigos - bastante sol, água temperada e bikinis reduzidos, que mais pedir?

Foi um fim de semana relaxante...até ao momento em que me apercebi, ao sair do mar, de que tinha o cartão do meu Megane no bolso dos calções!
(Aquele caramelo a mergulha na onda sou eu com o cartão no bolso...)

Apesar de serem 2 peças de plástico encaixadas descobri que era impossível abrir para tentar fazer algo. O máximo que consegui foi retirar a chave que permite abrir a porta (a peça escura na parte inferior direita do cartão) e tirar a pilha. Mais nada era possível fazer naquele momento. Escorri a água, tirei a pilha e deixei o cartão dentro do saco das toalhas a secar durante o resto do dia.

O grande problema é a água do mar - ao contrario do que se pensa, agua sozinha não conduz electricidade. São os solutos na água que conduzem a electricidade e se água salgada entrar na electrónica do cartão é o fim. Isto sem falar do salitre que é capaz de comer tudo!

Ao fim do dia fui ao meu carro buscar o banco do miúdo para que o casal nosso amigo o pudesse levar e regressar com o 2º cartão para eu pudesse então voltar a casa. Abri a porta com a chave e sentei-me no lugar do condutor a chamar todos os nomes a mim próprio, especialmente porque estes cartões são caros. Olhei para o cartão que tinha na mão (sem pilha), olhei para a ranhura do automóvel e pensei: será?

Introduzi o cartão, apertei o botão de arranque e FUNCIONOU! O circuito não foi afectado e ainda tinha carga suficiente para arrancar o carro! Mais impressionado que eu, só mesmo o resto do pessoal quando me viram chegar do parque do estacionamento com o carro a funcionar.

Chegado ao apartamento mudei a pilha e o comando continua a funcionar perfeitamente até hoje. Sou sincero, não esperava que ele se safasse mas a Renault parece que fez um bom trabalho no isolamento do circuito interno.

Que sirva de lembrete a todos - cuidem das vossas chaves (ou neste caso, cartões) dos vossos automóveis. São peças de equipamento caras (alguns custam mais de 200 euros) e apesar de serem desenhados para ser resistentes não são indestrutiveis.

E se tiver um "destes acidentes" procure no mercado de peças, sites de componentes e automóveis seminovos porque poderá encontrar cartões de substituição mais baratos.

0 comentários:

"