Acordo PSA - Dongfeng recebe luz verde

A PSA/Peugeot-Citroen confirmou o acordo de aumento de capital de 3 mil milhões de euros com os chineses da Dongfeng Motor Group que será utilizado na recuperação da marca - algo urgente tendo em conta que a PSA fechou o anos de 2013 com novas perdas: a PSA fechou o ano de 2013 com perdas de 2.32 mil milhões de euros (mesmo assim uma melhoria relativamente a 2012 em que as perdas foram de 5.02 mil milhões de euros) e mesmo com a nova parceria e objectivos a PSA avisou que não será capaz de parar as perdas até 2016.
E aí entra o anterior nº2 da Renault Carlos Tavares que tomará as rédeas da PSA/Peugeot Citroen no dia 31 de Março, 2 dias depois do assinar do tal acordo acima mencionado. Ele já tem experiência com a Dongfeng quando negociou a parceria entre a Renault e o construtor chinês e quase todos os analistas referem-se ao português como "o homem certo para o trabalho".
 
E tem planos bastante agressivos - diz que é necessário aumentar o investimento em pesquisa e desenvolvimento, e reduzir a oferta aos modelos mais lucrativos. Traduzindo directamente as palavras de Tavares - "assustar a concorrência como novos modelos".
 
O investimento necessário vem do aumento de capital de 3 mil milhões de euros, com a Dongfeng e estado francês a entrar com partes iguais por troca de 14% de participação na PSA. O Banco Santander vai também entrar com fundos através da unidade financeira da PSA (Banque PSA Finance).
 
Tavares disse que irá detalhar em Abril o seu plano para "dar a volta" à PSA, depois da aposta no mercado médio Europeu e o desprezar do mercado internacional ter levado a PSA à situação actual.
A principal aposta é a parceria com a Dongfeng para expandir na China (o maior mercado automóvel do mundo), onde já operam 3 fábricas com a PSA e esperam aumentar a produção em 2/3 até o fim de 2015. A PSA recebe o investimento que precisa e a Dongfeng recebe acesso à tecnologia e conhecimento da PSA bem como à rede da PSA.
Outra grande aposta é na América Latina e Russia, que requerem produtos globais e plataformas de baixo custo especificas para estes países. Atualmente na Rússia a PSA comercializa 27 modelos e perde dinheiro.
 
Este acordo PSA Peugeot Citroen-Dongfeng-Estado Francês-Banco Santander já recebeu a bênção da União Europeia, se bem que muitos analistas e observadores não acham que o negócio vá estabilizar a PSA - principalmente porque duvidam que Carlos Tavares consiga fazer as reformas necessárias com uma direcção constituída pela Dongfeng, Governo Francês e a muito dividida família Peugeot.
 
Teremos que esperar para ver, mas estamos torcendo por sí Sr. Carlos Tavares!

0 comentários:

"