EuroNCAP continua a partir a loiça

Mais uma fornada de testes do EuroNCAP, este ultimos parecem mostrar que ter a nota máxima já não é tão facil: 6 modelos receberam as cobiçadas 5 estrelas (Peugeot 308, Mazda 3, Maserati Ghibli, Infiniti Q50, Mitsubishi Outlander Plug In e Ford Tourneo Connect) 5 ficaram-se pelas 4 estrelas (BMW i3, Volkswagen T5, Ford Ecosport, Nissan Note e Mercedes Citan). Se devemos dar os parabens aos óptimos alunos, há que estranhar 2 resultados menos bons - o novo Nissan Note e o BMW i3.
 
Com 4 estrelas o BMW i3 ficou atrás do mais baratinho Renault Zoé que teve 5 estrelas, mas isso não significa que num acidente o ZOE é melhor - é que como o EuroNCAP contabiliza os equipamentos de assistência pré e pós acidente, olhar simplesmente para a pontuação final não basta. O problema do i3 é que não atinge os 60% de pontuação na proteção dos peões e isso automaticamente bloqueia a possibilidade de 5 estrelas. E depois há o resultado de 55% de equipamentos de segurança - não tem avisador de cintos de segurança traseiros ou limitador de velocidade. Tirando isso, o i3 é tanto ou mais seguro que os restantes. Já o Nissan Note é outra história: teve 86% na proteção de adultos - em caso impacto frontal a coluna da direcção e consola central podem atingir as pernas dos passageiros dianteiros.

2 comentários:

  • Marco C. says:
    3 de dezembro de 2013 às 18:45

    Nunca tomei muita atenção, mas no safety assist, colocaste os videos do 308 e Maserati, ambos receberam 81%, contudo pelos videos com o ESC activo o 308 é impecável, enquanto o Maserati é um rebelde... Como é possivel terem a mesma pontuação?

  • Turbo-lento says:
    4 de dezembro de 2013 às 10:14

    Já tive hipotese de conduzir o 308 e posso dizer que é mesmo bom - a escrever o ensaio assim que terminar o do Clio carrinha. Mas levantas uma pergunta interessante à qual já tentei ter resposta mesmo contactando o EuroNCAP mas sem sucesso - ao contrario dos testes de impacto o Euroncap não divulga como chega à pontuação do teste ao ESC. A sério.

"